sábado, 9 de junho de 2007

Canções do Ceguinho II (o regresso)

Cinco anos volvidos sobre o primeiro espectáculo “Canções do Ceguinho”, regressam as histórias de faca e alguidar. Voltam as canções que povoavam o universo sonoro das feiras e romarias, desta feita com outros instrumentos, novos arranjos e novas histórias. A mãe que matou os três filhos à machadada; a costureira que descobriu que o noivo a enganava e se matou no dia do casamento; a Maria da Graça que foi enganada pelo Manuel Celestino e atirou o filho recém-nascido para o telhado; o coveiro de Pínzio que desenterrava os mortos para lhes tirar a roupa.
Estas e muitas outras histórias serão cantadas no próximo dia 21 de Junho, pelas 22 horas, no café concerto do Teatro Municipal da Guarda. Um espectáculo de César Prata (adufe, concertina, kazoo, samples, sanfona, viola, viola beiroa , viola toeira e voz).

1 comentário:

Hermínio José Costa disse...

Gosto muito da ideia da realização deste espectáculo. Só espero que também o venhamos a ter aqui em trancoso. O tema é muito interessante e não deixa de ser uma mais valia cultural. Ainda me lembro destes ceguinhos a cantar nas feiras da Mêda ajudados por uma pessoa que vendia as letras das canções ou os relatos dos dramas vividos por outros. Era uma forma de comunicação pois a televisão e a rádio quase não existiam. O engraçado é constatarmos que sempre fomos muito atraídos pelo trágico e muito sangue. Parabéns César, logo dá-lhe forte!